Epidemia no Mundo Bruxo


Como todos que vivem no nosso mundo bruxo sabe, esse ano tivemos um outono forte, fazendo um frio maior do que o normal. Tal fato, fez com que muitas crianças fossem atingidas pelo vírus da gripe venefica, causando uma epidemia em todo o mundo bruxo.

Ao que se sabe, todas as crianças entre a faixa etária dos dois aos treze anos de idade, foram atingidas pela gripe venefica, também conhecida como doença do mugido, nome popular dado pelos bruxos pelo fato das crianças que foram contagiadas estarem conversando normalmente e de repente soltarem um "muuuuuuu" no meio de uma frase.


Ao entrevistar alguns medibruxos que trabalham no Hospital St. Mungus, ficou claro que a doença do mugido é uma doença que atinge apenas as crianças do mundo bruxo, e que as crianças trouxas dos dois aos trezes anos, são imunes a ela. (Será que os trouxas sabem de algo que nós, bruxos, não sabemos? O.o)

Entrevistei também duas crianças que tiveram a doença, assim como eu - que diga-se de passagem que fiquei alguns dias mugindo por ai. O primeiro entrevistado foi Charlie D. Van Rousset, um garoto corvino de onze anos. Ao ser questionado sobre os sintomas da doença, Charlie disse não recordar-se com prontidão de quando os sintomas começaram aparecer, quando percebeu, já estava gripado. Os sintomas que o garoto teve foram, a princípio, como de uma gripe comum. Febre, espirros e fala estranha. Ok, até aqui tudo certo né? O que, segundo ele, foi mais estranho, eram exatamente os mugidos que surgiam em meio a suas frases sem mais nem menos, quando via, já havia escapado. Charlie também disse a mim durante a entrevista, que acredita - pois foi sua mãe que lhe falou - que ficou doente por andar descalço em casa durante o inverno que tivemos.


A segunda pessoa entrevistada foi Annastasia D. Lancastter () que ao ser questiona sobre quando os primeiros sintomas da doença começaram a aparecer, respondeu:

"Hum... eu não sei ao certo... Lembro-me de tomar um sorvete na praça de Godric's Hollow e conversar com a filha do sorveteiro. Ela espirrou próximo a mim, e logo que eu voltei para casa soltei um mugido. Minha tia, Amabile, riu e fantasiou-se de vaca durante o jantar. Mas depois ela pediu-me desculpas porque os sintomas só pioravam. O primeiro furúnculo apareceu um dia e meio depois.."

(Só eu que fiquei imaginando a "linda" cena de Amabile V. Lancastter vestida de vaca durante o jantar? Uma pena eu estar fora e ter perdido essa cena q)

Ao ser questionada sobre os sintomas que sentiu durante a doença, a resposta foi basicamente a mesma que a de Charlie. Tudo começou, segundo os relatos, como uma gripe comum. Dores no corpo, voz anasalada, espirros - esses absurdamente altos e escandalosos, explicou a garota durante a entrevista. Durante a entrevista ela mostro a "monstruosa", "horrível" e "gigantesca" marca que um dos furúnculos que teve durante a doença deixou na sua panturrilha. A marca era tão grande que eu tive que me aproximar bastante para enxergar e quase usar uma lupa (equipamento trouxa que aumenta as coisas. Minha família que não era minha família de verdade viviam no mundo trouxa, lembram? q). E ela ainda alega que teve sequelas '-' Enfim,.. Annastasia também teve os famosos mugidos, o que acreditem, são horríveis de lidar. Experiência própria.

                                                                                 (*-*)

Ao questionar ambos sobre haver necessidade de um encaminhamento ao Hospital St Mungus, os dois responderam que não; nenhum deles teve atendimento no mesmo. Charlie disse que se curou apenas bebendo um xarope muito comum entre os elfos, o qual o elfo de sua mansão preparou. Já Annastasia, falou sobre ter ficado em repouso e ter tido uma ótima alimentação com a ajuda da elfa doméstica de nossa mansão, a Nyx. A garota comentou também sobre comer bastante feijõezinhos de todos os sabores e que bebeu bastante leite, o qual ajudava com relação aos mugidos, que logo foram cessando. Já sobre os furúnculos, Annastasia disse que usou o estoque de poções da mansão Lancastter para que curassem. 

Já no meu caso, a doença estranhamente chegou do nada e foi embora assim como veio, sem mais nem menos. '-'

E essa foi mais uma matéria do Profeta Diário. Agradeço novamente aos entrevistados pela colaboração. Qualquer pergunta ou sugestões, não hesitem em me mandar uma coruja leitores \o/ (-q) 


William.
Share on Google Plus

About William Halden Dashwood

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário